Como fazer um plano de marketing digital que funciona? Veja o passo a passo

A transformação digital não é mais uma promessa. Se esse movimento já vinha acontecendo há alguns anos, a pandemia de covid-19 serviu para acelerá-lo ainda mais. Nesse novo contexto, marcas devem ter não só uma presença digital, como se planejarem com antecedência e terem criatividade para se adaptar às mudanças, que devem ser constantes.

Ainda que a transformação digital deva fazer parte de toda a empresa, o marketing tem um papel importante para que seja colocada em prática. Por meio do marketing digital, é possível chegar aos clientes certos de maneira efetiva e humanizada. E a boa notícia é que colocar a estratégia em prática não é privilégio de startups inovadoras ou empresas do setor de tecnologia. Todas as empresas podem se beneficiar.

Uma boa presença online começa com um bom plano de marketing digital. É esse documento que vai nortear toda a estratégia da sua empresa na internet. É preciso levar em conta o público-alvo, o mercado, os concorrentes, os objetivos da empresa, os canais que serão utilizados e como medir tudo isso.

Mas como fazer um plano de marketing digital que funciona na prática? Neste artigo, vamos mostrar, passo a passo, como construir esse planejamento do zero. Confira!

 

O que é um plano de marketing digital?

O plano de marketing digital é um documento que contém os detalhes da sua estratégia de marketing na internet. O objetivo desse planejamento é construir uma estratégia para atrair e converter os visitantes dos seus canais digitais (como website e redes sociais) em clientes, fazendo com que se apaixonem pelo seu produto ou serviço. Nele constam todas as estratégias e ações necessárias para alcançar seu consumidor em potencial.

Dentre outras informações, o plano de marketing digital inclui:

  • Os objetivos de curto, médio e longo prazo da empresa;
  • Os concorrentes diretos e indiretos;
  • Uma descrição do público-alvo, incluindo as personas;
  • Os canais de marketing digital que serão utilizados;
  • As ações que serão realizadas nesses canais;
  • O orçamento necessário para colocar a estratégia em prática.

 

Por que fazer um plano de marketing digital?

Um dos benefícios de ter um plano de marketing digital bem feito é contar com um guia, uma espécie de mapa em que constam todas as diferentes estratégias que devem ser feitas pela equipe de marketing.

Além disso, o plano de marketing digital serve para:

  • Ter metas e objetivos claros com a estratégia de marketing digital;
  • Ter uma descrição objetiva do que deve ser feito para que esses planos sejam alcançados;
  • Entender onde a empresa está inserida em relação ao mercado, aos concorrentes e ao público-alvo;
  • Ter um documento consistente para justificar investimentos para a diretoria;
  • Revisar e avaliar o que foi proposto;
  • Ter as informações organizadas em um só lugar, de modo que podem ser repassadas facilmente para novos colaboradores, por exemplo.

 

Como fazer um plano de marketing digital que funciona?

Depois de entender o que é e por que fazer um plano de marketing digital, é hora de partir para a prática. Veja algumas etapas que podem nortear a construção do seu plano.

 

1. Entenda seu mercado

A primeira etapa para construção do plano de marketing digital consiste em situar a empresa no seu mercado de atuação, além de entender quem são os concorrentes, o público-alvo e as forças e fraquezas do seu produto ou serviço.

Veja também:  8 razões para contratar uma agência

Nessa etapa, uma ferramenta bastante utilizada é a análise SWOT. Essa técnica de planejamento estratégico é bem conhecida entre quem trabalha com marketing e consiste em listar as forças (strengths), oportunidades (opportunities), fraquezas (weaknesses) e ameaças (threats) do seu negócio.

As forças e fraquezas dizem respeito ao ambiente interno da empresa, enquanto as oportunidades e ameaças são relativas ao ambiente externo.

 

plano-de-marketing-digital-swot
Fonte: Emad Jr.

 

A matriz SWOT organiza de maneira visual e fácil de entender quatro fatores que é preciso observar nesse primeiro momento de definição do plano de marketing digital. Entenda cada item:

  • Strengths (ou forças): nesse quadrante, devem constar as forças internas da empresa, aquilo que ela realmente sabe fazer bem. Aqui, deve-se refletir sobre qual a maior vantagem competitiva do negócio, quais os melhores produtos, serviços e processos;
  • Weaknesses (ou fraquezas): nesse caso, temos o oposto. É preciso identificar as fraquezas da empresa, aqueles pontos em que ainda é preciso melhorar. Questione-se se o seu negócio tem colaboradores capacitados e uma boa gestão, por exemplo, e se todos os produtos ou serviços estão agradando o público;
  • Opportunities (ou oportunidades): saindo do ambiente interno e indo para o externo, é preciso entender quais forças vindas de fora influenciam positivamente a empresa. Como dependem de fatores externos, não podem ser controladas. Ainda assim, é interessante observá-las na criação do plano de marketing digital. Um ponto a se levar em consideração aqui são eventos da sua área que ocorrem na região, por exemplo;
  • Threats (ameaças): as ameaças também são fatores externos, portanto, assim como as oportunidades, não podem ser controladas. Aqui estão inclusos eventos que prejudicam a competitividade do negócio, como grandes concorrentes entrando no mercado ou bons fornecedores saindo.

 

2. Conheça a concorrência

A análise SWOT já dá um bom norte em relação ao mercado e aos concorrentes. Mas é possível ir além e se aprofundar nas empresas que disputam os consumidores com você. Não se trata de ver esses negócios como inimigos, mas sim de conhecê-los para aprender com eles.

A dica é listar essas empresas, tanto os concorrentes diretos quanto os indiretos, observando aquelas que fazem ações que você considera inovadoras, inspiradoras ou bem-sucedidas. Esses devem ser os concorrentes que devem ser olhados mais de perto, para entender os seus diferenciais.

 

3. Defina suas personas

Além de entender o mercado, é preciso conhecer bem o seu público-alvo. Afinal, é a ele que a sua estratégia de marketing digital se destina.

Uma boa maneira de fazer isso é definindo buyer personas, representações fictícias das pessoas que você quer atrair para que consumam seus produtos ou serviços. A persona representa o seu cliente ideal, a pessoa que provavelmente comprará do seu negócio.

Para criar uma persona, use como base dados reais dos seus clientes, identificando características comuns entre eles. Estas são algumas informações que devem constar na descrição da sua persona:

  • Onde mora?
  • Qual é sua idade?
  • Qual é seu nível de instrução?
  • Com o que trabalha?
  • Qual é sua renda?
  • Quais são seus interesses?
  • Quais são seus objetivos?
  • Que informações consome?
  • No caso de empresas que vendem para empresas (B2B), qual empresa compra o seu produto ou serviço? Qual é o cargo de quem compra?
Veja também:  Rumo Marketing: a importância de contratar uma agência que entende o mercado local

Muitas vezes, a empresa pode ter mais de uma persona como alvo. Criar esses diferentes perfis ajudará você a vender para diferentes tipos de compradores, com base em seus interesses e necessidades.

 

4. Defina objetivos mensuráveis

Antes de colocar a mão na massa, é preciso definir objetivos. É com base neles que você saberá se as suas ações de marketing estão contribuindo para o crescimento da empresa.

É recomendado definir objetivos grandes e pequenos — os menores devem contribuir para que você alcance os maiores. Esses objetivos também devem ser mensuráveis. Para isso, uma metodologia muito utilizada são as metas SMART.

Para ser SMART, uma meta deve ser:

  • Specific (específica): não basta dizer “queremos gerar mais leads”, é preciso dizer quantos leads e em quanto tempo;
  • Measurable (mensurável): é preciso determinar um indicador para a meta;
  • Attainable (atingível): é comum que a empresa queira atingir resultados incríveis, mas eles precisam ser realistas;
  • Relevant (relevante): não faz sentido criar metas que não estejam de acordo com os objetivos de toda a empresa;
  • Timely (temporizável): é preciso determinar um período para que a meta seja atingida.

 

5. Escolha os canais que fazem sentido para o seu negócio

Agora que você já sabe quem está tentando alcançar e quais são os seus objetivos, é hora de descobrir quais canais vão ajudar sua empresa a chegar lá.

O marketing digital inclui uma série de ações e canais, como Search Engine Optimization (SEO), mídia paga, redes sociais, email marketing e marketing de conteúdo. Esses são só alguns jeitos de usar a internet para alcançar seu público-alvo.

Com os canais definidos, pense em um cronograma. Quantas vezes você vai postar no blog? Em quais dias os emails serão disparados? E as redes sociais, em quais você vai criar uma conta e com que frequência vai postar? Tudo isso deve constar no plano de marketing digital.

 

6. Defina um orçamento

O orçamento é uma parte crucial do plano de marketing digital. Antes de começar a implementar as ações, é preciso saber quanto você pode gastar. Ter um orçamento bem definido permite distribuir o dinheiro disponível entre as diferentes ações de maneira adequada.

Lembre-se de priorizar recursos, tanto de pessoal quanto de dinheiro. Isso vale tanto para custos internos quanto externos, caso vá fazer uma parceria com uma agência para dar vazão a esse planejamento, por exemplo.

É preciso dividir a verba entre diferentes canais, encontrando um equilíbrio entre o quanto deseja gastar em cada ação e o quanto é realmente necessário para que tragam resultados.

Quando você sabe o quanto tem disponível e distribui a quantia da melhor forma entre os canais, aumentam as chances de o seu plano de marketing digital realmente funcionar.

Calendário-B.done

7. Mensure os resultados

O trabalho não acaba depois que você definiu e implementou seu plano de marketing digital. O próximo passo é um dos mais importantes: analisar os resultados.

Uma das vantagens do marketing na internet é justamente a possibilidade de medir as ações de maneira mais acurada e específica, ao contrário do às vezes que ocorre em canais mais tradicionais, como rádio, TV e outdoor. Por isso, não desperdice essa possibilidade. Medir os resultados das campanhas é essencial para determinar se os seus esforços estão sendo bem-sucedidos.

Veja também:  6 estratégias de marketing digital que a sua empresa não pode ignorar em 2021

É preciso medir cada ação, para ver se as metas que você definiu foram alcançadas e corrigir a rota, se necessário. Para isso, é preciso definir quais são as métricas mais importantes e como você irá acompanhá-las.

Algumas métricas interessantes de observar são:

  • Taxa de conversão;
  • Retorno sobre o investimento (ROI);
  • Custo de aquisição de clientes (CAC);
  • Taxa de visitantes.

É importante também contar com boas ferramentas de monitoramento. Uma das mais conhecidas é o Google Analytics, que serve para monitorar o seu tráfego e o comportamento dos visitantes nas suas páginas.

Outros softwares úteis são ferramentas de monitoramento de redes sociais e uma plataforma de automação de marketing, que serve não só para a análise como também para mandar emails, criar landing pages, dentre outras ações.

Além disso, fazer reuniões periódicas de revisão do plano também ajudam. Elas podem ser feitas mensal ou trimestralmente, por exemplo.

 

Resumindo as dicas de como fazer um plano de marketing digital

Se você seguiu as etapas até aqui, deve estar com uma grande quantidade de informações em mãos nesse momento. Como organizá-las no plano de marketing digital?

A seguir, vamos fazer um resumo de como organizar todos esses dados. Lembre-se de que é interessante que o plano não seja só um documento de texto, mas que também seja organizado de maneira visual e atrativa, com uma diagramação que o torne fácil de compreender e de consultar, quando necessário.

  • Na primeira página, vale incluir um resumo dos produtos e serviços que a empresa oferece, assim como do seu propósito, tudo de maneira breve;
  • Em seguida, inclua as metas gerais, também de forma resumida;
  • Descreva as suas personas e ilustre-as com uma foto;
  • Você também pode incluir em seguida os principais concorrentes e algumas informações sobre eles, como número de clientes e de visitantes do site, caso consiga descobrir, comparando-os com os seus. Dessa forma, dá para entender facilmente onde você se insere no mercado;
  • Na etapa seguinte, descreva os canais que serão utilizados e a frequência de postagens de cada um, por exemplo, redes sociais, postagens no blog, publicação de materiais ricos e disparo de emails;
  • Descreva também as ferramentas que serão utilizadas e os investimentos que serão feitos em cada canal;
  • Por fim, descreva as métricas que serão usadas para medir essas ações e como o acompanhamento do seu plano de marketing digital será feito.

Gostou dessas dicas de como fazer um plano de marketing digital que funciona? Depois de pronto, é só compartilhar o documento com a equipe e deixá-lo salvo em um local de fácil acesso.

 

Se você precisa de ajuda para fazer seu plano de marketing digital para o próximo ano, conte com a ajuda da B.Done! Conectamos marcas com agências e veículos de mídia para transformar e criar novas e incríveis experiências com o mercado e otimizar seus resultados de marketing e de negócios. Quer saber como a sua marca pode conhecer o seu próximo parceiro de marketing? Entre em contato com a gente aqui!

Compartilhar artigo

Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on tumblr
Share on telegram

Escrito por:

Débora Brauhardt
Débora Brauhardt
Especialista em Gestão da Criatividade e Inovação e mais de 12 anos de carreira em estratégias de negócios, marketing, customer success, gestão e internacionalização em empresas como Parque Tecnológico Itaipu, Resultados Digitais e Octadesk.