Marketing de Influência: como as marcas podem otimizar suas estratégias

O marketing de influência está cada vez mais em evidência, e embora não seja uma estratégia nova, ganhou força com a internet, plataformas como Instagram, Youtube e TikTok e os influenciadores digitais. Com isso, novas soluções e tecnologias foram criadas para gerir e medir os resultados de campanhas. Por isso, conversamos com a Maria Alice Gomes da Spark SaaS para entender mais sobre o assunto. 

 

O marketing de influência, muito embora seja uma estratégia amplamente utilizada por marcas principalmente nos canais e plataformas digitais, é bem mais antigo que o Instagram ou o YouTube. E isso você já sabe.

As marcas se apropriam do uso de imagens públicas, artistas e famosos há muitos anos, o que não é nenhuma novidade. Isso porque nós, consumidores, criamos uma relação de conexão/identificação com o influenciador, e passamos a desejar o produto ou o serviço que ele está divulgando. Quem nunca ouviu alguém falar: “-Ah, mas Fulana falou que a pele dela ficou incrível. Vou experimentar esse creminho também”?

Mas, o que você também sabe, é que esse cenário está mudando. E a internet, as plataformas digitais e o criadores de conteúdo são, em parte, responsáveis não apenas pela democratização da criação de conteúdo digital criativo, como também, por uma nova era no marketing de influência.

Hoje é comum que os influenciadores de marcas não sejam mais apenas os super-famosos artistas da TV, e muitas vezes, é ainda melhor que não sejam, já que trazer pessoas que “vivem uma vida real” pode ter um poder ainda maior de conexão com o público.

Para falar um pouco mais sobre esse assunto, entender as mudanças e saber como as marcas podem otimizar suas estratégias com o marketing de influência, fomos conversar com a Maria Alice Gomes, que é Business Development & Customer Success Lead na Spark SaaS.

Prontos?

 

Marketing de Influência

B.done: O marketing de influência se transformou muito nos últimos anos. Se antes isso era algo exclusivo de grandes marcas e funcionava apenas com famosos, hoje vemos ele ser amplamente utilizado pelos mais diversos portes e segmentos da empresa e também um crescimento expressivo de micro influenciadores. Como vocês percebem essa evolução e qual o impacto para as marcas?

Maria Alice: Concordo completamente! O mercado de influência deixou de ser uma indústria misteriosa e ele agora é visto como uma tática de marketing, tanto por grandes, quanto por pequenas marcas, até para segmentos que não tem tanta experiência usando desse tipo de estratégia.

Veja também:  Economia do Borogodó: Como a Transcriativa fomenta a Transformação Criativa das pessoas

É uma mídia digital que proporciona as marcas atingirem seu público alvo com um custo bem reduzido, se comparado às mídias tradicionais. Para completar, você ainda tem o endosso da celebridade ou influenciador, garantindo mais força à sua estratégia

Nos últimos anos, vimos uma transformação enorme neste mercado. Não há mais o que se falar em um marketing sem fundamento ou resultados. Para atingir seu objetivo, sua estratégia tem que ser fundamentada em dados e ter seus KPIs bem definidos, antes mesmo da escolha dos influenciadores.

Além disso, cada vez mais as marcas têm visto o poder dos micro influenciadores. Em um mundo onde todos têm redes sociais, a pessoa que cria um conteúdo com qualidade sobre um produto ou serviço que gosta, consegue influenciar aqueles ao seu redor, até mesmo garantir conversão para a marca.

B.done: Você acompanha de perto várias grandes marcas que usam o marketing de influência. Na tua experiência, o que pode fazer uma estratégia com influencers ser bem ou mal-sucedida?

Maria Alice: O principal é basear a estratégia de marketing de influência em dados.

Muitas vezes as empresas acabam errando ao escolher influencers baseando-se apenas em volume de seguidores. Entender desde o começo da estratégia quais seriam os influenciadores mais indicados para aquela campanha é essencial, se aprofundando também em análise de concorrência, ou até mesmo em como aquela pessoa performa em comparação com outros influenciadores com audiência similar.

Outro ponto que fará toda a diferença na sua estratégia de marketing de influência é o seu ROI. De que adianta contratar o influenciador mais caro, se o teu retorno sobre o investimento não será satisfatório? Fazendo a análise por afinidade de audiência entre influenciadores, você consegue contratar um excelente influenciador – talvez inesperado -, que atingirá o mesmo público, por um valor mais em conta. Além de conseguir o mesmo impacto final, o seu investimento foi muito menor, resultando no melhor ROI para a sua marca ou cliente.

Por fim, acompanhar a performance das campanhas em tempo real, para otimizar as ações que não estiverem funcionando tão bem é muito importante para uma campanha de sucesso.

B.done: Do ponto de vista de métricas, onde as marcas costumam falhar ao medir impacto e efetividade das suas campanhas com influencers?

Maria Alice: A primeira falha pode estar no planejamento de objetivo da campanha: o que a marca quer? Branding ou conversões? A partir disso deve se basear a busca pelos influenciadores mais adequados à marca, ao produto e à campanha.

Veja também:  Marketing na Pandemia: 4 lições de 2020 para as marcas

Entender qual a audiência que se quer atingir também é essencial. Muitas vezes as marcas contratam influenciadores com uma audiência muito diferente da própria, o que faz com que a mensagem não atinja as pessoas indicadas. E, de novo, o erro mais comum: se basear apenas em volume de seguidores ao fazer a seleção dos influenciadores.

É necessário considerar muitos outros pontos além desse, como: taxa de engajamento falando sobre aquele segmento e em comparação com a média do mercado, em qual mídia social o influenciador performa melhor, em qual modelo de conteúdo, volume de seguidores que são autênticos, e até mesmo se aquele influencer já se envolveu em algum tipo de escândalo ou tema ao qual a marca não queira se relacionar.

B.done: E como você acha que as marcas podem então otimizar tais estratégias e ter melhores resultados em suas campanhas?

Maria Alice: Se munindo de dados e de tecnologia! A gente sabe que o processo completo de marketing de influência normalmente é bastante manual e dá trabalho! Existe o contato inicial, troca de mensagens, negociação e após tudo isso, o controle das publicações e resultados para relatórios.

Então contar com ferramentas de CRM que englobam o processo todo, garantindo organização e um fluxo de trabalho simples e descomplicado, irá ajudar a otimizar os processos, quando as análises e metrificações de uma campanha.

B.done: Como a Spark e a Spark – SaaS – ajudam marcas a desenvolverem estratégias com influencers?

Maria Alice: A Spark, como empresa especialista em marketing de influência, ajuda marcas, empresas e agências com estratégias completas de marketing através das redes sociais de influenciadores, atuando na curadoria e contratação até mesmo no desenvolvimento criativo, produção e relatórios de BI.

Já a Spark SaaS é quem cuida da parte de tecnologia, oferecendo a Tagger, nosso software de marketing de influência all-in-one, para aquelas empresas que querem tocar a própria estratégia. A plataforma é simples, intuitiva, completa e diferente das plataformas nacionais que existem no mercado – não à toa, ganhou pelo segundo ano consecutivo o prêmio MarTech Breakthrough Award, na categoria “Melhor Empresa de Marketing de Influência”.

Veja também:  Onde tudo nasce: não importa ter o melhor produto se ele não vende

A plataforma te permite trabalhar com todos os influenciadores das principais redes sociais: Instagram, Facebook, TikTok, Twitter, Twitch e Soundcloud, encontrando, gerenciando, analisando resultados e criando relatórios precisos, já de acordo com a LGPD.

Um dos maiores diferenciais é que não há restrição com relação à quantidade de seguidores, podendo criar e gerir uma campanha 100% elaborada com micro influenciadores, com uma estratégia focada na conversão de cada um.

B.done: E para 2021, Maria Alice? O que você percebe que muda quando falamos sobre marketing de influência? Quais são as principais tendências, e o que as marcas devem ficar atentas?

Maria Alice: De acordo com um whitepaper criado pela Takumi, 73% das marcas estão planejando aumentar o investimento em Marketing de Influência, mesmo com a pandemia. Isso mostra que as marcas estão cada vez mais seguras de que influencers conseguem, sim, entregar ROI. Mas não são só os hábitos de consumo das marcas que importam. A segurança dos consumidores também está crescendo. Uma pesquisa da Brightlocal mostrou que 91% dos millennials confiam em reviews online tanto quanto em recomendações de amigos e parentes!

Sobre a Spark SaaS:

A Spark SaaS é uma Martech spin off da Spark e Representante exclusivo Tagger Media no Brasil. A empresa é especialista em soluções criativas e tecnológicas de marketing de influência para marcas. A Spark SaaS oferece soluções para quem busca resultados em campanhas de marketing digital visando um crescimento exponencial e ROI otimizado.

Concluindo

No final do dia, o que temos como lição é que o racional por trás da estratégia ainda é muito válido: social proof, recomendações e senso de identificação com o personagem que está por trás da #publi continuam mais atuais do que nunca. Mas em tempos de transformação digital acelerada, não dá para negar que os meios mudaram. E não se adaptar é sinônimo de jogar dinheiro fora.

E falando em otimizar recursos e estratégias, você sabia que a B.done pode ajudar a sua marca a encontrar o melhor parceiros criativo para os seus desafios de marketing e negócios?

Temos um portfólio de agências e veículos de mídia que podem ser a solução que você está buscando há tempos! Que tal começar um papo com a gente para saber mais?

Compartilhar artigo

Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on tumblr
Share on telegram

Escrito por:

Débora Brauhardt
Débora Brauhardt
Especialista em Gestão da Criatividade e Inovação e mais de 12 anos de carreira em estratégias de negócios, marketing, customer success, gestão e internacionalização em empresas como Parque Tecnológico Itaipu, Resultados Digitais e Octadesk.