UX e UI: como sua empresa tem pensado na experiência do consumidor?

A tecnologia mudou a maneira como os consumidores se relacionam com empresas. Com uma clientela cada vez mais informada e exigente, oferecer um bom produto deixou de ser um diferencial. Para se destacar, é preciso focar na experiência.

De acordo com uma pesquisa realizada pela PwC em 2018, por exemplo, cerca de 80% dos consumidores apontam a velocidade, a conveniência, o conhecimento e o atendimento como elementos mais importantes de uma experiência positiva com uma empresa. 

Mas não é só o consumidor que sai ganhando. Oferecer uma boa experiência à clientela pode trazer uma série de benefícios para o negócio, como retenção, fidelização e atração de novos clientes por meio de indicações. 

Certo, mas como alcançar essa boa experiência? Um bom ponto de partida é investir em estratégias de UX e UI, que ajudam o seu negócio a focar em oferecer uma experiência excelente ao consumidor quando ele entra em contato com a sua empresa.

Essas práticas não só facilitam a vida das pessoas, como também permitem aumentar vendas, já que os usuários deixam de desistir de uma compra pela falta de informações, por exemplo.

Quer entender o que são UX e UI, quais as diferenças entre elas e suas vantagens para as empresas? Então continue a leitura do artigo! 

O que é UX?

Vamos começar com a definição de UX. 

UX é a abreviação do termo user experience, que, em português, significa experiência do usuário, consistindo em um conjunto de elementos e fatores relacionados com a maneira como um usuário interage com uma empresa, seus produtos e serviços. O termo surgiu na década de 1990 e é creditado ao pesquisador, professor e autor da área de design Don Norman.

A definição original de UX design não faz menção ao digital, de modo que a ideia pode ser aplicada a qualquer produto que possa ser experienciado, seja ele físico ou virtual — isso incluiria, por exemplo, tanto uma visita a um site na internet quanto a um supermercado.

Mas, apesar dessa abrangência, o uso de UX tem ocorrido majoritariamente online. Uma explicação para isso pode ser o fato de que o conceito começou a ser usado na época em que a indústria da tecnologia estava se popularizando.

O que faz um designer especialista em UX?

Agora que você já sabe o que é UX, vamos falar sobre o que faz, na prática, um designer especialista no assunto, que é quem, no geral, cuida dessa estratégia nas empresas.

O profissional focado em UX pensa sobre como a experiência faz o usuário se sentir e sobre quão facilmente esse usuário pode realizar as ações que a empresa deseja que ele faça, colaborando para os objetivos do negócio.

Para isso, é preciso reduzir atritos e gerar no usuário um sentimento positivo ao longo do processo. Para alcançar esse objetivo, é necessário pensar em usabilidade, percepção de valor e eficiência na execução de tarefas, dentre outros pontos.

No geral, os profissionais de UX costumam lidar com: 

  • Arquitetura da informação
  • Pesquisas com usuários
  • Design de interação
  • Wireframes e protótipos

O que é UI?

Agora, vamos falar sobre UI. 

A sigla UI, por sua vez, quer dizer user interface, ou, em português, interface do usuário. Uma interface do usuário é o ponto de interação entre uma pessoa e um produto digital. Isso pode incluir, por exemplo, sites e aplicativos. 

O UI, de forma resumida, consegue traduzir a marca na interface dos produtos, garantindo que o design seja consistente e coerente. Pode-se dizer que o UI trabalha com as melhores práticas de design para aplicar na prática a estratégia de UX, sendo uma ponte entre o user experience e o usuário. Por isso, é comum considerar que o UI é parte do UX. 

Realmente, é difícil não relacionar as duas áreas, já que possuem muitas semelhanças. Há, inclusive, profissionais que se apresentam como UX/UI designers. Porém, ambas também têm as suas diferenças, exigindo conhecimentos diferentes. Sobre isso, falaremos mais adiante.

O que faz um designer especialista em UI?

O designer focado em UI pode trabalhar a interação com o produto, considerando seus elementos interativos e visuais, garantindo que a interface seja intuitiva e que o usuário não precise pensar muito. 

Em seu dia a dia, ele trabalha com:

  • Identidade e guia de estilo
  • Cores
  • Design gráfico
  • Layout
  • Tipografia

Afinal, quais são as diferenças entre UX e UI?

É importante entender que UX e UI andam de mãos dadas. Empresas que investem em uma das práticas precisam investir na outra também. Porém, é necessário, também, saber que se tratam de diferentes estratégias, ainda que tenham muito em comum.

O UX design tem relação com a experiência, enquanto o UI diz respeito a como a interface de um produto se parece e funciona. 

O trabalho de um UX designer leva em conta toda a jornada do usuário para resolver um problema. Esse profissional procura responder a perguntas como “quais passos os usuários seguem?”, “quais ações desejam fazer?”.

Muito desse trabalho consiste em descobrir quais dificuldades os usuários encontram e como resolvê-los. Isso requer pesquisas para descobrir quem é o público-alvo, como ele se comporta e quais suas necessidades em relação a certo produto. Então, é preciso mapear a jornada de um usuário com esse produto e quais ferramentas podem ser necessárias para melhorar sua experiência.

O UX designer também cria wireframes, uma espécie de protótipo usado para sugerir uma estrutura de um site, por exemplo. 

Em seguida, com esse esqueleto definido, entra em cena o UI designer. O profissional, que cuida dos elementos por meio dos quais as pessoas interagem com o produto, como botões, itens, menu, tipografia e cores, vai dar vida a esse wireframe.

Enquanto o UX designer mapeia a jornada, o UI foca nos elementos que a tornam possível. Mas, atenção, isso não quer dizer que o UI designer só cuida do visual de um site, por exemplo. Esse profissional tem um impacto grande em um produto ser ou não acessível e inclusivo.

Veja um resumo das diferenças entre UX e UI na imagem abaixo — ao centro, as características comuns a ambas as estratégias.

UX e UI

Fonte: CareerFoundry

Por que combinar UX e UI?

Agora que já falamos sobre as diferenças entre UX e UI, é hora de entender como eles podem funcionar juntos. Não existe hierarquia quando se fala de experiência e interface do usuário: ambas as estratégias são igualmente importantes e se influenciam mutuamente.

Imagine que você passou semanas criando um ecommerce. O visual é bonito e parece que tudo está em ordem. Porém, quando os consumidores em potencial começam a acessá-la, não conseguem encontrar o que desejam. Não importa o quão atrativa a interface é, os usuários vão deixar a sua página se não conseguirem realizar as tarefas que desejam.

Agora, vamos pensar no outro lado da moeda. Imagine que seu designer de UX conduziu pesquisas e fez testes para otimizar a experiência dos usuários. Só que o contraste entre o fundo e as letras das páginas é baixo. Os usuários, então, têm dificuldade para ler, e abandonam a página da mesma forma. 

Nosso objetivo, com esse exemplo, é mostrar como, mesmo com um bom UX, os usuários podem ser desencorajados a usarem o seu site se ele não for acessível. Da mesma forma, se ele for bonito, pode repelir os usuários por conta da má experiência. 

Em outras palavras, não há UX sem UI, e vice-versa. Se o seu objetivo é ter um site centrado nos usuários, é preciso levar ambos os aspectos em consideração. 

Por que UX e UI são importantes?

A combinação de UX e UI molda a experiência que um usuário tem com determinado produto. Pense em dois produtos comparáveis: se um deles oferece uma experiência melhor aos usuários, certamente essas pessoas o utilizarão mais. 

Esse é um dos principais motivos para quem tem um site investir em oferecer uma boa experiência aos usuários, em especial quem possui uma loja virtual ou aplicativo. Se os consumidores tiverem uma má experiência, é bem provável que irão escolher as soluções da concorrência. Investir em UX e UI pode ser um diferencial competitivo.

Além de atrair usuários, oferecer uma boa experiência pode ajudar a retê-los e fidelizá-los — o que é bem mais barato do que atrair novos consumidores o tempo todo.

Além disso, incluir práticas de UX no desenvolvimento de projetos — como pesquisas e testes — reduz o retrabalho e diminui custos. Imagine só descobrir que seu site oferece uma experiência ruim depois que ele estiver no ar, e precisar começar todo o trabalho do zero? Pois é, o UX pode evitar isso. Por isso, o melhor é considerá-lo como um pilar desde o início. 

O mesmo vale para o UI. Se você planejar bem a experiência do seu site mas ela não for bem executada, pode ser necessário fazer tudo de novo, acarretando em mais gastos de tempo e dinheiro 

Como usar UX e UI na prática?

Agora você já sabe o que é, quais são as diferenças, semelhanças e benefícios do UX e do UI. Se você leu até aqui, certamente não fará mais confusão com essas siglas.

Mas tem mais uma questão. Se você está pensando em colocar seu projeto no ar, seja uma loja virtual, um aplicativo ou mesmo o site da empresa, pode estar pensando: por onde começar a incluir UX e UI no desenvolvimento?

Essas duas estratégias são bem específicas, por isso, requerem profissionais especializados no assunto. O que muitos negócios fazem é contratar designers para trabalhar internamente. O problema é que isso pode custar mais caro, ainda mais quando se trata de um negócio que ainda vai ser lançado.

Pensando nisso, uma boa alternativa pode ser contar com uma agência parceira, que desenvolva serviços de UX e UI. No mercado, existem negócios focados nessas estratégias, que contam com especialistas no assunto. 

Contratar uma agência pode ser mais barato, já que não é preciso arcar, por exemplo, com os custos trabalhistas de contratação de um ou mais funcionários. Basta pagar pelos serviços conforme o modelo de pagamento escolhido.

Nem por isso, no entanto, seu projeto deixará de contar com profissionais qualificados, já que as agências costumam ter equipes interdisciplinares para desempenhar os projetos dos clientes. 

Outra vantagem é que, com a agência, você pode ir além do UX e do UI. Esses profissionais atuarão no desenvolvimento do site, mas não basta colocá-lo no ar para colher bons resultados. 

Depois, é preciso atualizá-lo com conteúdos usando as melhores práticas de SEO, divulgá-lo nas redes sociais, relacionar-se com os clientes por meio de diversos canais, fazer análises. Nesse sentido, uma agência que oferece diversos serviços de marketing pode ser um ótimo parceiro de negócio.

Como encontrar agências focadas em UX e UI?

Se você não sabe como encontrar a agência ideal para auxiliar sua empresa a implementar estratégias de UX e UI, saiba que pode contar com um parceiro nessa busca. É o caso da B.done, que conecta empresas que querem melhorar resultados de marketing e negócios às agências ideais para cada caso.

Quer saber como a sua marca pode conhecer seu próximo parceiro de marketing? Entre em contato com a gente aqui!

Veja também:  Não contrate uma agência sem conhecer seu negócio
Escrito por: