Episódio 8: Carta aberta da CEO sobre 2020

Há muitas maneiras de se contar uma mesma história, mas é sob a ótica das pessoas que elas são mais interessantes e é como escolho contar a da B.done. Tivemos uma gestação completa em 2020, e como cronometrado, no ciclo de nove meses, o filho abre os olhos e enxerga o mundo pela primeira vez e há um futuro de inúmeras possibilidades à frente.

Empreender e gestar um negócio em abril de 2020, em meio a uma pandemia parecia ser loucura, mas como digo à mim mesma (com uma certa frequência): tem loucuras que a gente só faz com muita maturidade. “Cáh, você não viu o caos?”. Você me perguntaria e eu também. Mas sim, considerando o caos no cálculo e a sua teoria: ações muito pequenas no início de um processo podem gerar resultados e cenários imprevisíveis no futuro.

“Comecei” em dias, em semanas “começamos”. Viramos plurais ainda em abril, quando Débora e Juliana embarcaram num modelo de negócio nada definido, porque esse meu instinto de vendedora que sobrepõe minha personalidade profissional… Advinha? Já havia fechado os primeiros projetos.

Lembro da minha ótima proposta para ambas: “Olha, eu tô faturando os primeiros mil reais esse mês, mas vejo uma oportunidade de profissionalizar os negócios na indústria criativa e ajudar agências a gerar negócios, não sei como, mas algo me diz que vou por aí”. Em maio nosso primeiro faturamento rendeu nossos primeiro pró-labore (ainda muito modesto, diga-se de passagem).

Confiar em minha intuição sempre foi certo para mim, mas como consegui comunicar que minha intuição era o meu plano de negócios para a Débora e a Ju? Uma das perguntas sem respostas que entram para minha coleção. Éramos as três primeiras pessoas da B.done – afinal é uma história sobre pessoas.

Veja também:  Coragem ou Fraqueza? O Poder de um Negócio Vulnerável

Entre maio e agosto, ao mesmo tempo que nosso modelo de negócio ficava mais claro e estruturado, validávamos nossa metodologia de geração de oportunidades para as agências, crescíamos em média 80% mês a mês em novos contratos, expandíamos nosso portfólio incluindo veículos de mídia e projetos especiais, era também o momento de fazer nossas primeiras contratações. Consigo sentir o frio na barriga e lembro de visualizar a última placa no caminho: daqui em diante é sem volta, combinado?

Combinado.

Não encontraríamos os perfis prontos no mercado para o que estávamos construindo. Parecia um desafio, mas, porque não mudar a ótica? “Vamos contratar e treinar essas pessoas!”. Pessoas que também com mais vontade, que currículo. Pessoas com mais coragem, do que medo. Pessoas com mais sonhos, do que realidade. Se elas também confiarem na minha intuição como plano de negócios e colocarem de lado uma B.done ainda embrionária, mas em um mercado que somos muito maduras, encontrarei as pessoas certas.

Assim é que chegaram Wellen, Gleice, Ana Carolina, Day, Tati, Rafa. Sem perceber, nos tornamos um time de mulheres de negócios dentro de um mercado em que mulheres ainda lutam por espaço. Quantas mulheres você viu na liderança ou gerenciando negócios no mercado de marketing, publicidade ou mídia? Hoje quem sabe podemos começar a juntar as mãos para contar um pouco mais do que dez nomes em nossos dedos – e me sinto parte realizada em saber que a B.done contribui para que a mudança dessa realidade.

Esse é o time que está na linha de batalha comigo, Débora e Ju. Entre os dias em que tudo dá certo e outros que tudo dá errado. Entre nossas dúvidas. Entre nossos erros, acertos. Entre dias de calmaria, e dias que parecem intermináveis de força-tarefa. Não sei se foi sorte, sabe? Ás vezes. Mas, talvez… seja o efeito da teoria do caos. A borboleta que batia suas asas no Japão, está fazendo a B.done voar rápido aqui no Brasil. Incluiria um pouco de sorte, e muita mão na massa.

Veja também:  Episódio 06: Consistência é a mãe do progresso

No outro lado, estamos construindo um portfólio de clientes consistentes, agências, veículos de mídia e a indústria do entretenimento. Entre a racionalidade e o sonho, essas pessoas por trás desses números investiam em nós, e não sobre uma questão de dinheiro, é uma questão de confiança. Confiança de que estamos construindo um caminho de crescimento também para os seus negócios.

9 colaboradores e 17 clientes. E o resultado dessa soma de pessoas, faz com que meu discurso passe de pessoas para alguns dos números construídos em conjunto:

Em 9 meses, foram R$3,6 milhões transacionados em 2020, 2.551 empresas prospectadas, uma base com ~ 30.000 leads e ~17.000 empresas. Até agora, R$18 milhões em negócios mapeados no pipeline para o primeiro trimestre de 2021.

Ah, e antes que eu me esqueça! Temos um primeiro MVP do nosso produto. Mapeamos o histórico de concorrências dos últimos 04 anos das marcas, somados as informações levantadas nas ~ 400 conversas realizadas com lideranças de marketing pelo nosso time. Entramos em 2021 com uma inteligência comercial que nos dará mais eficiência e previsibilidade de negócios no mercado de agências, mídia e entretenimento. O que sequer era cogitação em abril, é agora um dashboard gigantesco de informações relevantes que dão base para nossas estratégias de negócios e orientam para os novos produtos da B.done para a indústria criativa para 2021. (Obrigada, Fê!)

Dashboard Troca de Agências
Dashboard Troca de Agências entre 2017 a 2020.

Eficiência em serviços para as agências e veículos de mídia, escala de receita com produtos, se somam para um projeto ousado de posicionamento para as marcas em 2021 sob liderança da Débora. Entre o equilíbrio entre muitos sonhos e possíveis realidades, focamos para que as conexões entre sejam fluídas, consistentes, rentáveis e produtivas.

Veja também:  Carta Aberta Aos Negócios do Futuro

Passamos o último quarter estruturando o time, pessoas e ferramentas, porque entendemos que 2021 é o momento de eu sair da operação e deixá-la em outras boas mãos. Para mim, ainda é um pouco doloroso só de pensar, confesso. Mas a realidade é que o filho está nos braços, e é hora de darmos os primeiros passos. Passos bem ousados para quem acaba de chegar. Mas, ao recontar essa história na minha mente, e depois transcreve-la, me parece que o frio na barriga sempre foi um bom sinal para seguir em frente.

2020, business done. #check

Compartilhar artigo

Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on tumblr
Share on telegram

Escrito por:

Cah Morandi
Cah Morandi
Com sólida carreira na liderança de operações de vendas e canais em empresas de tecnologia e serviços como Resultados Digitais e Today.ag, também é mestre em internacionalização de empresas.